Pra Quem gosta do blog...

Antes de tudo Oiiii, né?


Então.
Oi.

E Tchau.

Brinks rs.

Assim, gente. Eu sei que tem gente que vem aqui todos os dias em busca de novidades, inspiração ou simplesmente gosta de estar aqui. Mas o fato é que é final de ano e vocês sabem como é, não sabem?

Prometo não abandonar aqui mas não prometo postar com frequência. Mas postarei sempre que tiver tempo e a inspiração brotar :D yehhhhhh!

Não me esqueçam, por favor.

E se quiserem entrar em contato comigo é só me adicionar (e vir falar) nas redes sociais:

É aqui embaixo ó, não custa nada u.u


O Tempo passa, transpassa, entrelaça

* Definitivamente este conto não é recomendado para crianças.
Obrigada pela compreensão.

1 , 2 , 3, 4, 5, 6, 7... Quantos dias perdemos nessa brincadeira?
Nem eu sei dizer.

Aquela sensação que rodopiava, ia embora e voltava quando eu menos esperava. Era assim e nada eu podia fazer para mudar. Estávamos nesse jogo sabe-se lá quanto tempo. Eu adorava jogar com ele mas neste tempo, neste final de ano, eu estava cansada. Me pergunto onde estaria minha paciência, minha esperança, para comigo mesma e para com os outros, para com... ele.

Apito! Sim eu ouço um apito, eu ouço um grito, eu ouço um sorriso, eu ouço uma doçura. Tudo isso eu ouço menos o seu nome. Por que você está fugindo, aonde você quer chegar? Quer que eu adivinhe? Eu não tenho como saber todos os sinais, meu bem.

Dia desses, desanimada e ao mesmo tempo fechada, eu resolvi ignorá-lo. Passei por ele e nem cumprimentei. Não por egoísmo ou falta de educação mas cansaço de ser repelida sempre. De repente ele aparece na minha frente, parado, estático. Desvio o olhar imediatamente. A timidez tomou conta de mim. Ele segura meu rosto com as duas mãos e me faz olhar bem dentro de seus olhos. Ardendo, sim eles estavam ardendo. "Não quero confusão" murmuro olhando fundo em seus olhos fortes como fogo. Tão sério ele cobre meus lábios com sua mão macia. E começa a tocá-los, ali mesmo, na frente de todo mundo. E eu sou só sensação, sentindo ele tocando minha boca. Suspiro enquanto ele sussurra em meu ouvido que ela parece veludo.

Ele pára e fica me olhando. Estou com a boca entreaberta, ofegante, nunca fiquei tão suscetível. Como ele pode me deixar assim? Como ele exerce esse poder sobre mim? O clima está ficando insuportável porque a atração entre nós é visível. Palpável. Tensão. A energia está densa, quente e está contaminando todo o ambiente. Aquela energia! O modo como ele me provoca. Ele sabe o efeito que tem sobre meu corpo, meus pensamentos, minha pulsação. Ele me puxa pela mão e rapidamente me leva para o banheiro. Lá nos trancamos. Já é tarde e o prédio está vazio. Eu o empurro contra parede arfando e abro sua camisa de botões com um só movimento. Mal percebo que estraguei todos os botões que me parecem irrelevantes nesse momento. Após tê-lo jogado contra a parede e imprensado meu corpo no dele, o pego com força. Pego de jeito. Mergulho o nariz nos cabelos de seu peito, inspiro profundamente, 'Nossa, como ele é cheiroso...'. Noto que ele está com os lábios semi-abertos e o olhar inflamado. Sua pele está em brasa e seu coração bate tão forte que consigo sentir sua presença. Mordo o lóbulo de sua orelha, chupo e beijo. Ele geme e se contorce. Eu o quero mais que tudo, quero fazê-lo meu naquele momento, nem que seja só naquele momento. "Você é meu..." sussurro com uma voz meio rouca e sexy em seu ouvido. Adoro sussurrar em seu ouvido, acho tão sexy e sedutor, tão quente e erótico... Seu corpo se arrepia em reação a minha voz  e distraidamente sorrio ao pensar o quão sensível ele é. Pego suas mãos e levo até meu corpo para que ele possa explorá-lo. Enquanto ele me toca o agarro pela nuca e o beijo ardentemente, explorando sua boca com toda avidez. Estou tão enlouquecida por seus lábios, seu gosto, sua respiração, sou toda dele e ele é todo meu. Nossas línguas estão desesperadas e travando uma batalha, estamos disputando a boca um do outro, invadindo e ao mesmo tempo se unindo. Estamos nos descobrindo, nos iludindo, nos curtindo, nos queimando em nosso próprio inferno.

O tempo não passa e eu quero cada vez mais dele. Anseio que sejamos um só, que possamos nos unir não só fisicamente mas espiritualmente. Sim, aquele homem que me deixou louca. Aquele homem que consegue decifrar meus pensamentos. Que adivinha quando eu preciso de sua presença. Sim. Ele.

Esfrego meu nariz no dele e começo a utilizar da minha boca para acariciá-lo. Meus lábios molhados, quentes, macios e carnudos vão abocanhando seu pescoço, traçando um caminho até sua boca e, depois, continuando o percurso até seu peito. Consigo sentir sua excitação. Estamos tão empolgados. Queríamos tanto nos amar. Uma coisa tão simples mas tão complicada. Não era só atração física, tínhamos uma ligação muito forte. Me sentindo culpada, me sentindo satisfeita, me sentindo amada. Novamente penetro minha língua insaciável dentro de sua boca, invadindo, enlouquecida. Puxo seu lábio inferior com os dentes e chupo, dou mordidinhas de leve e olho para ele. É assim que quero deixá-lo. Em êxtase, anestesiado de tanto carinho e tanta paixão! Passo a mão pela sua bunda e aperto com força, a toco, passo meus dedos e os subo devagarinho por toda a sua coluna, chegando a seu pescoço e o arranhando suavemente. Nossos corpos estão em brasa, se derretendo um no outro, me sinto viva, meu corpo está formigando, ardendo, elétrico e pulsando, latejando, ofegando. Estamos como dois loucos perdidos em uma noite escura. Dois insanos tentando descobrir o que é a vida. É tão natural e flui como se existisse o tempo todo dentro de nossos corpos e mentes. Neste momento sinto minha energia masculina, intuitiva, sensível e complexa. Forte... Iniciativa... Sou toda sequiosa. Eriçada. Agitada. Toco todo o seu corpo, o desperto, aperto, liberto, o cheiro, o puxo para perto de mim. Quero senti-lo o máximo que posso.


Sim. Um pouco mais de ti. Eu quero mais. Mais que ontem, mais que hoje, mais que todos os dias possíveis. Eu sempre quero mais. Sim. Mais. Mais.. Mais...


Já faz tanto tempo e nunca mais o vi. Ele passou como uma brisa, como um vento, como um furacão. Sim, como um furacão. Levou tudo - de mim.


Afinal, o que é a vida perfeita?

Eu sempre sonhei em ter uma vida digna de um filme best-seller, que nem um musical, um livro interessante e divertido, uma série viciante. E tudo que eu via era um suspiro triste, um olhar abandonado, uma solidão inacabável.

Foi quando eu percebi que eram os meus olhos, a minha visão, a minha forma de ver a vida. E eis o segredo que brilha e pisca no fim da grande porta. Não é exatamente um lugar, não é algo que você chega lá e pronto. É sensibilidade. É permitir-se. É percepção de vida. É maturidade. É crescimento. É mais amor. Sim, "MAIS AMOR, POR FAVOR". É... Como enxergamos o mundo em nossa volta. Simples mas profundo.

Digo isso porque eu sempre via a vida de uma perspectiva sangrenta e dolorida, sempre por um ponto negativo, me prendia a situações negativas do meu passado, nos traumas, nas pessoas que me fizeram mal. Hoje vejo que cada um tem um histórico de vida e somente nós mesmos sabemos o que se passa dentro de nossos corações. Vejo que sempre julguei aqueles que feriram meu coração mas nunca parei pra pensar que eles também foram feridos, que não sou perfeita e que já machuquei pessoas também.

A forma como as pessoas nos tratam pode ser advinda de inúmeras possibilidades: personalidade, criação, ambiente, traumas entre muitas outras coisas. O fato é que se você enxergar o outro como um outro ser humano, com seus defeitos e falhas, com suas lembranças (boas e más), com seus sonhos e anseios, sua vida se torna diferente. Diferente? diferente porque você passa a compreender melhor, a se colocar no lugar do outro e a não pensar só em você mesmo.

Eu sempre quis ter milhares de amigos. Ter me divertido um monte na escola e não ter sofrido tanto bullying. Porém, atualmente, enxergo que tinha de ser assim. Minhas escolhas. Que tudo que aconteceu em minha história ajudou a construir quem sou hoje.

Eu sempre quis que eu e minha irmã fôssemos as melhores amigas que existiam nos seriados em que eu assistia. Porém eu não via que aquelas histórias eram fictícias e que até mesmo em alguns episódios elas se desentendiam. Parece bobo mas ficar reclamando e querendo uma vida que não existe é sempre mais confortável.

Não existem amizades perfeitas, amores perfeitos, vidas perfeitas. Podem até existir nas histórias mas a vida real é cruel e ela não hesita em te tascar um tapa quando for necessário ou até mesmo quando você não estiver esperando. A vida faz com que valorizemos quem somos e que estejamos perto de quem gosta da gente, quem nos aceita, quem nos entende. Compreendi que, ao fechar os olhos por alguns momentos, posso enxergar mais claramente o que existe ao meu redor. Posso perceber que o que eu tenho é que era pra ser e isso me basta. E que posso sonhar em ter mais mas que devo agradecer por estar viva e pelas pessoas que tornam minha existência muito mais significativa e empolgante.

Hoje agradeço pelo que eu vivi, pelo que eu tenho, por quem sou, que está longe de ser perfeito, mas que faz parte de mim.

Vida perfeita é aquela que a gente sonha, mas que na verdade a gente não quer porque tudo seria incrivelmente chato se fosse perfeito.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...